As mãos e as carícias 


As mãos 

exprimem as emoções, 

os sentimentos

assim se saiba do que falam

e não se rejeite a fala silenciosa

por em cada gesto

que pousa sobre o nosso outro

ir dizível a sensualidade. 

E se assim for

porque rejeitar, 

porque não coar

o dedo de mel

que se dá à prova?




23 comentários:

  1. Ávidas, loucas, inquietas, servas das suas próprias emoções — as mãos caminham no delírio insinuante para o alvor da madrugada.
    Envio uma carícia, brindando a beleza e suavidade do poema e da aguarela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palavras que dão extensão e valorizam a ideia do que está escrito.

      Eliminar
    2. PERDÃO!!
      Eu não queria modificar a ideia do poema, mas tropecei na palavra “sensualidade”.
      O poema fala de amor — NÃO precisa de extensões para valorizar a sua BELEZA.

      Eliminar
    3. A palavra "perdão" não é necessária. A ideia do poema não está modificada, tal como disse, mantenho, a sua interpretação valoriza o texto.

      Eliminar
  2. Não gosto de mão atrevidas!
    Gosto de mãos que acariciam.
    Gostei da ternura suave que emana da aguarela.
    Não achei que no texto houvesse sensualiade, soou-me mais a uma advertência e chamada de atenção para a linguagem silenciosa das mãos que tanto dizem. Concordo em absoluto com tudo o que foi escrito.
    Para terminar, adorei a metáfora implícita na interrogação final...sim, porquê rejeitar a doçura que nos é oferecida e não saboreá-la?

    Belíssima a sua publicação de hoje.
    Um abraço, com a doçura que lhe quiser atribuir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Satisfeito e concordante com o seu comentário, só posso agradecer o cuidado com que lê o texto e deita o seu olhar à imagem.
      Obrigado pelo abraço que retribuo.

      Eliminar
  3. Como a sua poesia não é lineal, há várias possibilidades de interpretação.
    Eu, ALMA SELVAGEM, continuo a ver sensualidade nas mãos que falam de carícias, embora caminhem ávidas, loucas, inquietas, servas das suas próprias emoções para o alvor da madrugada. Vou, no entanto, deter as minhas interpretações eróticas para não ferir susceptibilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todas as interpretações são válidas e sobretudo são um acto criativo. O que pretendo dizer no texto é que o gesto acariciador pode trazer a sensualidade mas, nem por isso, deve ser rejeitado por quem acha que as carícias, entre os amantes, devem ser apenas de ternura.

      Eliminar
    2. EU COMPREENDI O POEMA — por isso, é que me envergonho, que tenha lido e continue a ler algo mais do que ternura 🤍 Há noites assim!!

      Eliminar
    3. Mas não está errado o que lê, eu confirmo que a sua interpretação é correcta.

      Eliminar
  4. Um dos mais belos poemas que li ultimamente.
    Gosto da aguarela.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, o autor tem tendência a ficar vaidoso com estes comentários
      Um abraço.

      Eliminar
  5. Las manos acariciadoras, saben expresar su amor.

    Hermoso poema, lleno de sentimiento.

    Besos

    ResponderEliminar
  6. Feito com mãos delicadas, a aguarela e o poema.
    Gostei bastante de ambos.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Mais uma publicação de mãos dadas com o bom gosto.
    (Já agora, gosto de um bom aperto de mãos.)
    Beijo-

    ResponderEliminar