Foto do autor do texto



Isso importa? 


Revelo de mim 

o que eu próprio me permito. 

É com as palavras que me afago 

e com as palavras que me afogo 

e repito-as como se tivesse 

uma arma apontada à cabeça 

e espalho-as pelas ruas 

Querubim 

e a sua beleza 

Púrpura

e o som da cor 

Alcandorar 

o despertar com sol 

Brinquedo 

a vida que trouxemos nos cabelos 

Alcachofra 

a prova de amor 

Malmequer 

a simplicidade 

Alfazema 

as gavetas da memória 

Geneviéve 

o amor em estado puro. 


E tu? 

Faz a lista das tuas palavras 

e acolhe-te nelas 

usa-as como armas delicadas 

usa-as como a tua saudade 

que distribuis pelos outros 

como o pão da tua boca. 

Nunca saberemos ao certo 

com que palavras nos definem 

depois de nós. 

E isso importa?



 

9 comentários:

  1. … cada noite que passa o poeta revela mais palavras.
    Esta noite mais do que ontem, mas bem menos do que amanhã.
    E isso importa!!!

    Acolho-me nas palavras do poeta, entrando a passos leves na belíssima fotografia.

    ResponderEliminar
  2. Não sei se com esta publicação fiquei mais esclarecida sobre o verdadeiro EU do autor, se mais confusa.
    Que se acolhe e refugia na pintura e nas palavras, já nos vem sendo revelado desde que aqui entrei pela primeira vez.
    As palavras são importantes, sim, mas para mim seria impensável escrever um manual sobre como fazer funcionar o amor.
    As palavras são importantes, sim, mas para mim, as de amor, desejam-se naturalmente espontâneas, saídas da alma.
    Só assim serão verdadeiras.
    Mas concordo com a parte do riso pelas palavras desencontradas, atabalhoadas, que só os enamorados dizem.

    Grande publicação, grande sabedoria no manejo das palavras.
    Quem assim escreve não precisa de manuais...

    Bom dia, um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Janita
      (pronto, hoje lembrei-me mas não prometo que seja assim todos os dias)

      "Pequeno manual para fazer funcionar o amor" foi um texto que publiquei no dia 22 de Abril de 2020, foi quase no início deste blog, certamente nessa altura ainda não me lia.
      Fico satisfeito por esta publicação ter sido ao seu gosto.

      Obrigado, um abraço.

      Eliminar
    2. A introdução do Luís à resposta ao meu comment fez-me soltar uma gargalhada. E nem queira saber o bem que me fez rir agora.
      Por isso, tenho mesmo que lhe agradecer. Obrigada.
      Claro que não espero continuidade ao cumprimento, até porque eu também entrei aqui e não o cumprimentei, olhe, esqueci-me eu.

      Tenha uma Boa noite, Luís. :)

      Eliminar
  3. Hay que buscar la solución...de nada vale rebelarse, si no se pone remedio en ello.


    Besos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Intentamos adivinar lo que los demás piensan de nosotros. Un abrazo.

      Eliminar