Foto do autor do texto



A palavra, a fronteira


Há uma fronteira entre

a palavra e o seu ouvinte. 

Detenho-me em certas palavras 

     Baquear

     Fremente

     Inquieto

     Cogitar

     Furtivo

as palavras que dizes

são murmúrios que por vezes

não entendo

são prolongadas as palavras 

os murmúrios

     um oceano

     um céu 

é o que fazem lembrar

nem te importas com o que dizes 

nada existe

na fronteira que divide

a palavra do seu ouvinte. 

A palavra é a obediência 

ao seu significado

mesmo para os mais rebeldes

os teus murmúrios são a fronteira 

entre ti e o nada.



 

14 comentários:

  1. A fronteira entre a palavra e o seu ouvinte é a mentira

    ResponderEliminar
  2. Por vezes
    Entendo
    Murmúrios
    Que dizes
    Ou pensas
    Em voz alta
    Fico a cogitar
    Inquieto
    Digo-te que
    Baqueio
    Não entendes
    Não conheces
    A palavra
    Desespero
    Rasgo os
    Papéis
    Faço
    Tudo Em
    Quadradinhos
    Construo
    Com os papelinhos
    A Fronteira
    Entre
    Mim
    Tu
    E o
    Nada

    Depois, esfrio a cabeça, colo-os uns aos outros e refaço o meu melhor Poema...

    Boa noite, Don Luís D'Ávila.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem, apreciei o surpreendente poema construído como uma colagem, muito original com um resultado bem sucedido.
      Boa Noite Dona Janita.
      Um abraço.

      Eliminar
    2. Teresa, obrigada. 🙏

      Mas o VERDADEIRO Poema ainda está em apreciação... 👍


      ~

      Eliminar
    3. Cheguei agora a casa e não me apeteceu comentar pelo smartphone.
      Tanto a fotografia como a poema do Luís assim como o teu, Janita, são absolutamente do meu agrado.
      A fronteira que divide a minha vida é uma outra.

      Eliminar
    4. Acredito e desejo-te muita Saúde e Sucesso na passagem dessa tua fronteira, Teresa.

      Agora também tenho de passar a fronteira que divide o lazer dos meus deveres profissionais.

      Inté!

      Eliminar
    5. Obrigado a ambas por esta pequena tertúlia tanto do meu agrado.
      Abraços.

      Eliminar
  3. Muy buenos los dos poemas, el de juanita y el tuyo. Ambas tienen un buen talento para componer poemas y yo agradezco , que lo quieran generosamente compartir.

    Besos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simpático y animado tu comentario, por mi parte agradezco el tiempo que le dedicas a mi blog. Un abrazo.

      Eliminar
    2. Gracias, Antónia!
      Te mando un abrazo.

      Eliminar